The_Wanderlust_Mongolia_Selvagem_Tania_Neves_20

Mongólia Selvagem com Tânia Neves

Mongólia

A Mongólia é um dos poucos lugares do Mundo onde ainda podemos viver como os nossos antepassados de há vários séculos atrás viviam. Outrora o maior império do Mundo, dele hoje apenas resta a infinita paisagem de estepes, pincelada por lagos e rios que nos contam histórias seculares. Nesta intensa viagem, iremos observar rituais em templos budistas, partilhar as experiências do dia-a-dia da vida nómada, subiremos a crateras vulcânicas, passearemos a cavalo e provaremos a gastronomia local. Uma oportunidade única de viver por inteiro uma cultura tão contrastante da nossa, onde desafiamos tudo aquilo que temos por garantido, e abrimos horizontes a novos meios de vida, uma nova cultura.

Destaques

  • Descobre como é a vida nómada, vivendo como um;
  • Assiste ao incrível espectáculo de canto difónico mongol;
  • Percorre as estepes junto ao maior lago da Mongólia em cavalos selvagens;
  • Relaxa nas inesperadas termas de água quente;
  • Percorre os trilhos das crateras de vulcões a 3000m de altitude.

Itinerário

Dia 1 - Chegada a UlaanBaatarver

Bem-vindos a UlaanBaatar!

Aqui vive mais de 60% de toda a população Mongol. UlaanBaatar é agora uma grande cidade em rápido crescimento, comparando-se com outras grandes metrópoles asiáticas, um crescimento acentuado nos últimos quatro anos. Absorve bem a cidade que contrasta bastante com o resto do país.

Alojamento: hotel

Refeições: -

Dia 2 - Parque Natural de Tereljver

Hoje o dia vai ser aproveitado ao máximo para começar a absorver a cultura e história mongol, não dispensando ainda do conforto de uma cama de hotel, da vasta escolha onde comer e de um bom duche de manhã ou à noite.

De manhã cedo arrancamos e cruzamos já uma das 16 estradas pavimentadas que existem na Mongólia – rumamos ao Parque Natural de Terelj, onde subimos à maior estátua equestre de Genghis Khaan.

À noite, no regresso a UlaanBaatar, assistimos ao Tumen Ekh Ensemble, um evento que comprime as quatro artes mongóis num só espetáculo: teatro, canto, música e acrobatas.

Alojamento: hotel

Refeições: pequeno-almoço e almoço

Dia 3 – Reserva Natural Khögnö Khan Uulver

Hoje começa a nossa viagem pelo interior da Mongólia. Dirigimo-nos até à reserva natural de Khögnö Khan Uul. As viagens na estrada pela Mongólia têm tanto de duras como de divertidas. As carrinhas usadas são as míticas UAZ russas, dos anos 60, construídas para durar. São o veículo mais comum por aqui – logo a seguir ao camelo, cavalo e a mota – pela sua durabilidade, reliabilidade, e por ser muito fácil de consertar qualquer tipo de avaria, uma experiência comum nas estradas da Mongólia.

Ficamos hospedados com uma família aqui perto da reserva, num primeiro contacto com a vida nómada da Mongólia.

Alojamento: ger familiar

Refeições: pequeno-almoço, almoço e jantar

Dia 4 - Vale de Orkhonver

Acordamos cedo e, depois de um pequeno-almoço reforçado, seguimos a nossa viagem até ao templo-museu Erdenezuu. A sua construção teve inicio em 1586 e demorou mais de 300 anos até estar concluído. Originalmente, o mosteiro fora construído com pedras que vinham apenas da antiga capital de Kharkhorin, e dentro das suas muralhas encontravam-se cerca de 60 templos. Infelizmente, durante o poder politico da União Soviética, a Mongólia foi invadida e severamente destruída, sendo que destes 60 templos apenas 18 ruínas são visíveis nos dias de hoje. O mosteiro está aberto para Budistas, mas também para viajantes – pedimos atenção às regras e respeito nos templos. Por vezes pedem uma pequena “oferta” para entrarmos.

Depois desta visita, seguimos caminho até à cascata Ulaan Tsutgalan, onde fazemos uma caminhada. Ficamos alojados aqui perto, com uma família nómada, nas suas gers.

Alojamento: ger familiar

Refeições: pequeno-almoço, almoço e jantar

Dia 5 - Termas de Tsenkherver

Hoje vamos até às impressionantes termas de Tsenkher, onde tomamos um banho quente nestas águas termais. A Mongólia tem extensões de quilómetros inóspitos pelas suas estepes, que são inter-calados por paisagens e geosítios inesperados, como estas termas.

Ficamos alojados num ger camp nas termas.

Alojamento: ger camp

Refeições: pequeno-almoço, almoço e jantar

Dia 6 – Parque Natural de Terkhiin Tsagaan Nuurver

Continuamos a nossa viagem circular, hoje ainda em direção ao pôr-do-sol. O nosso destino é o Parque Natural Terkhiin Tsagaan Nuur, onde passamos as próximas duas noites. Ficamos alojados com uma família nómada nas suas gers, junto ao lago, acompanhados pelas suas várias dezenas de cabras e ovelhas.

Parque Natural de Terkhiin Tsagaan Nuur foi criado para proteger a fauna e a flora local, com inúmeras espécies em vias de extinção. Zona de vulcões já extintos e inúmeros lagos, aqui os picos mais altos chegam aos 3000m de altitude. Algumas das crateras dos vulcões oferecem-nos visões de lagos de águas cristalinas.

Alojamento: ger familiar

Refeições: pequeno-almoço, almoço e jantar

Dia 7 - Parque Natural de Terkhiin Tsagaan Nuurver

Hoje é um ótimo dia para explorar o parque. Fazemos uma caminhada até ao vulcão Khorgo, a cerca de 2210m de altitude, e exploramos as suas crateras. Caminhamos também em torno do lago Terkhiin Tsagaan, onde o pôr-do-sol nos brinda com uma paleta de pantones em tons laranjas que refletem nas calmas águas do lago. É uma boa altura para absorver o lento ritmo da vida mongol, e saborear os seus costumes.

Alojamento: ger familiar

Refeições: pequeno-almoço, almoço e jantar

Dia 8 - Shine Iderver

Despedimo-nos da família que nos acolheu neste lado e mudamos a direção da nossa viagem, rumo ao norte. Hoje ficamos perto de Shine Ider. Como a viagem é longa, a caminho fazemos uma paragem para um almoço em jeito de piquenique. O nosso guia local cozinha para nós enquanto aproveitamos para explorar um pouco a área circundante.

Chegando a Shine Ider, escolhemos um sítio com paisagem agradável e montamos as tendas. Hoje, a noite é passada ao relento, em contacto absoluto com a natureza.

Alojamento: tenda

Refeições: pequeno-almoço, almoço e jantar

Dia 9 - Lago Khovsgolver

Hoje rumamos ao ponto mais a norte da nossa viagem. Pelo caminho, com sorte, iremos observando os rebanhos de renas, típicas desta zona da Mongólia. O Lago Khovsgol é o maior da Mongólia, e o segundo maior da Ásia. 96 rios desaguam neste lago, mas apenas um nasce aqui: o rio Egiin, que no seu curso se junta ao rio Selenge, e desagua no Lago Baikal, na Sibéria. Apesar de ser um dos maio-res lagos do mundo, este lago está congelado grande parte do ano, muito devido à sua altitude - 1645m acima do nível do mar.

Chegados ao nosso destino, instalamo-nos na guesthouse onde iremos pernoitar as próximas duas noites.

Alojamento: guesthouse

Refeições: pequeno-almoço, almoço e jantar

Dia 10 - Lago Khovsgolver

Hoje é um dia para absorver por inteiro a vida mongol. Damos um passeio a cavalo, que pode ocupar o dia inteiro, intercalando com caminhadas. Diz-se que todos os cavalos na Mongólia são descendentes diretos dos cavalos de Ghenghis Khaan. Os cavalos mongóis são bem diferentes daqueles a que estamos acostumados ver: de perna curta e com barrigas mais abauladas, menos elegantes que os cava-los europeus, mas não menos ágeis, de ritmo mais lento, mas de abordagem bastante fácil.

Alojamento: guesthouse

Refeições: pequeno-almoço, almoço e jantar

Dia 11 - Khutag Undurver

Despedimo-nos hoje do belíssimo Lago Khovsgol e começamos a nossa viagem de volta para UlaanBaatar. Hoje ficamos na zona de Khutag Undur, onde pernoitamos, uma vez mais, em tenda.

Alojamento: tenda

Refeições: pequeno-almoço, almoço e jantar

Dia 12 - Mosteiro Amarbayasgalantver

A nossa última paragem nesta viagem será para visitar o impressionante Mosteiro de Amarbayasgalant, o maior existente na Mongólia. A região Selenge é impressionante quer pelos seus rios, quer pe-las montanhas Burenkhan.

Acolhidos novamente por uma família nas suas gers, despedimo-nos da vida nómada da Mongólia. Porque não saborear os últimos tragos de Suutei tsai (chá tibetano, salgado) e Aaruul (coalhada desidratada) desta viagem com a família que nos acolhe, e observar pela última noite o infinito céu estrela-do da Mongólia?

Alojamento: ger familiar

Refeições: pequeno-almoço, almoço e jantar

Dia 13 - UlaanBaatarver

Acordamos cedo e fazemos a nossa viagem de regresso a UlaanBaatar. Despedimo-nos da família que nos acolheu e fazemos a longa viagem de volta. Já no hotel, aproveitamos para tomar um bom duche de água quente, e passear de novo pela metrópole. O jantar é livre, e ao gosto de cada um.

Alojamento: hotel

Refeições: pequeno-almoço e almoço

Dia 14 - Regresso a partir de UlaanBaatarver

Hoje é dia de deixar UlaanBaatar e a Mongólia. Aos que ainda tiverem tempo, porque não visitarem o mercado de UlaanBaatar para comprarem os últimos souvenirs, ou um dos seus muitos templos agora perdidos no labirinto de arranha-céus que enganam o horizonte?

Boa viagem e até breve!

Alojamento: -

Refeições: pequeno-almoço

O que está incluído?

  • Dias: 14
  • Alojamento: 3 noites em hotel, 4 noites em gers familiares, 2 noite em ger camp, 2 noites em guesthouses e 2 noites em tendas
  • Transportes: carrinha 4x4 para deslocações no país (>2000kms)
  • 35 Refeições: 13 pequenos-almoços, 12 almoços e 11 jantares
  • Atividades: Todas as atividades mencionadas no programa
  • Seguro de viagem nas datas do programa
  • Acompanhamento e orientação durante toda a viagem pela Tânia Neves
  • Grupos: 5 (mínimo) a 11 (máximo)

Wanderluster

O que não está incluído?

  • Passagem aérea internacional (+/-1000€)
  • Visto: 40€ + 5€ taxas administrativas
  • Suplemento single: não disponível
  • Alimentação não especificada (+/- 50€)
  • Visitas não especificadas
  • Despesas de caráter pessoal
  • Gorjetas

Próximas Datas

22 Julho a 4 Agosto 2018 1580€ Disponível