The_Wanderlust_Nepal_Selva_Tibete_Tania_Neves

Nepal, da selva ao Tibete com Tânia Neves

Nepal

O Nepal é um país que trago no coração e esta aventura vai mostrar-te o vasto espectro do espírito nepali, desde a selva tropical de Chitwan até ao remoto reino de Mustang, no cimo de Annapurna.

Começando por Kathmandu, capital actual da República do Nepal, partimos para Pokhara, a “capital da aventura”. Subimos às incríveis montanhas de Annapurna e exploramos um pouco de Mustang, o antigo reino de Lo, uma das regiões tibetanas mais bem preservadas no Mundo. Depois do frio, rumamos ao tropical e arrematamos a nossa viagem com uma exploração pela selva em Chitwan.

Destaques

  • Conhece Lower Mustang, uma das mais bem preservadas áreas tibetanas do mundo;
  • Visita o templo de Muktinath, um templo de peregrinação hindu e budista, a quase 4000m de altitude;
  • Explora a selva em Chitwan, o mais antigo parque nacional do Nepal;
  • Sobe aos picos mais altos do mundo e vê rinocerontes na selva, numa só viagem;
  • Explora um dos melhores treks do mundo, na região protegida de Annapurna.

Itinerário

Dia 1 - Chegada a Kathmanduver

Namaste! Bem-vindos a Kathmandu.

Ficamos hospedadas no Thamel, o epicentro de Kathmandu. Temos um driver no aeroporto e a Tânia no hotel à vossa espera. Quando estivermos todos reunidos, escolhemos um restaurante que seja do agrado de todos e falamos um pouco sobre o que nos espera. O Thamel é um bairro vibrante que nos oferece de tudo um pouco, a qualquer hora do dia. Ainda é cedo para nos perdermos nas compras, por isso o melhor é deitarmo-nos cedo hoje, que temos uma longa aventura pela frente!

Alojamento: hotel

Refeições: -

Dia 2 - Kathmanduver

Aproveitamos a manhã e, depois de tomar o pequeno-almoço, vamos directos a um dos locais mais icónicos de Kathmandu, o “Templo dos Macacos” (Swayambhunath Stupa). É uma caminhada “simpática”, de pouco mais de 2kms, que nos permite ver de perto toda a cidade, ruas, gentes, cheiros e vida. De caminho, paramos no templo Shova Bhagawati, onde podemos ver alguns jovens monges e as mulheres a trabalharem as lãs com as suas fiadeiras no lado de fora.

De tarde, conhecemos alguns dos projectos solidários que apoiamos e ficamos a conhecer algumas das histórias heróicas do terremoto do 25 Abril 2015.

Alojamento: hotel

Refeições: pequeno-almoço

Dia 3 – Viagem até Pokharaver

Acordamos bem cedo, pois a nossa viagem para Pokhara dura sete longas horas. A viagem pelas serpenteadas estradas não é fácil e por muito confortável que seja o transporte, é sempre longa. A cada duas horas, paramos para café, esticar as pernas e observar a paisagem.

Ao chegarmos a Pokhara, temos logo a espectacular vista dos Himalaias: Dhaulagiri, Manaslu, o “postal” Machhapuchhare, os cinco picos de Annapurna e outros mais.

Fazemos check-in no nosso hotel, cuja localização, junto ao grande lago Phewa, é perfeito para nos ajudar a restabelecer as energias e o desgaste da longa viagem.

Alojamento: hotel

Refeições: pequeno-almoço

Dia 4 - Pokharaver

Pokhara é apelidada de cidade paradisíaca e não é por acaso! Abençoada pelos Himalaias, reflectidos no lago Phewa, uma cidade com clima ameno, o ano todo. O mágico pôr-do-sol, visto de Sarangkot, de onde podemos mais tarde saltar de parapente, ou o pôr-do-sol visto da Shanti Stupa (World Peace Pagoda). As “pagodas da paz” - numa tradução livre - foram construídas pelo mundo todo para relembrar as pessoas de todas as raças e de todos os credos que se unam em busca da paz mundial. E esta, no Nepal, com vista mágica sobre o pico de Machhapuchhare e a cultura nepali, ajudam-nos a reflectir no que realmente importa. Este dia em Pokhara também é bom para as últimas compras antes de subirmos às montanhas. Ao longo do famoso Lakeside há inúmeras lojas de roupa e acessórios de montanha a preços competitivos. Aqueles que não quiserem comprar, podem simplesmente alugar equipamento.

Alojamento: hotel

Refeições: pequeno-almoço

Dia 5 - Viagem até Marpha (2680m)ver

A viagem para Marpha é um desafio. Reflecti muito sobre a melhor forma de chegarmos ao topo e sem dúvida que a opção que mais me agrada é a que mais nos entranha na cultura Nepali: vamos num autocarro local, cuidadosamente decorado com pinturas à mão, música alta, muitos solavancos e infinitas paragens até Marpha. Pelo caminho, o tráfego de cabras e burros de carga podem atrasar a nossa viagem. A viagem é tão longa quanto a viagem de Kathamandu para Pokhara, mas a distância três vezes mais curta: há momentos em que podemos até atingir a estonteante velocidade de 5km/h. O que é rápido, considerando que a pé demoraríamos cerca de 6 dias a lá chegar.

Aqui em Marpha vive o povo Thakali. Marpha é a capital das maçãs e provavelmente poderemos provar o incrível sumo de maçã quente, ou até um brandy de maçã, especialidade local. Ficamos num hotel familiar, produtores de maçãs e alperces e provavelmente teremos uma tarte de maçã quentinha à nossa espera! Os quartos nos alojamentos de montanha são bastante básicos, mas a hospitalidade é enorme!

Alojamento: hotel

Refeições: pequeno-almoço

Dia 6 – Trekking Marpha - Kagbeni (2810m)ver

Começamos aqui a nossa curta aventura de trekking pelos Himalaias!

À saída de Marpha passamos por uma vila chamada Syang e atravessamos a ponte até ao lago Dumba. Continuamos ao longo do vale, até chegarmos a Jomsom. Jomsom é um sítio importante: tem um pequeno aeródromo, que trás as pessoas de Pokhara (sim, a nossa viagem vertiginosa de 7h podiam ter sido apenas 25 minutos de avioneta, mas não seria nem uma pontinha da experiência!).

Logo a seguir a Jomsom, temos a passagem por Panga Khola, que é - na minha opinião - a parte mais difícil deste trek. Apesar de ser sempre a direito e em pleno descampado, ao início da tarde tem uns ventos fortíssimos, que fazem a caminhada frustrante e difícil. No final de Panga Khola, o “pub solitário” Ekle Bhatti, onde podemos parar para tomar um chá, tirar fotos: estamos quase em Kagbeni! Quando avistamos finalmente o rio Kali Gandaki, estamos a 1h apenas da vila.

Kagbeni é uma vila história e muito importante, desde a antiga rota trans-himalaia da venda de sal, desde o Tibete, via Mustang. É aqui, ao longo do rio Kaligandaki - o desfiladeiro mais fundo do mundo, que por vezes se vê Saligram, a pedra que simboliza o deus Vishnu, portador da vida correcta, riqueza, protecção, saúde, prazer e benção espiritual. Daqui, temos vistas privilegiadas dos picos Nilgiri, Dhaulagiri e Tukuche.

Alojamento: hotel

Refeições: pequeno-almoço

Dia 7 - Trekking Kagbeni - Muktinath (3800m)ver

Fazemos o habitual permit check e continuamos a nossa subida até Ranipauwa. Fazemos mais paragens que o habitual, porque o caminho é sempre a subir e também porque as próximas duas noites ficamos hospedados no mesmo sítio! Pelo cenário pitoresco, chegamos à incrível vila de Jharkot, uma das minhas favoritas. O templo aqui tem um monge russo que todas as manhãs liga as colunas do templo a um rádio e dá música a toda a vila - na verdade, quase a todos os Himalaias.

Caminhamos um pouco mais e chegamos ao nosso destino. O nosso alojamento é logo à entrada da vila e tem a sauna a maior altitude segundo o livro do Guinness, ainda por cima com grandes vistas sobre as montanhas. As vossas pernas vão agradecer!

Alojamento: hotel

Refeições: pequeno-almoço

Dia 8 - Muktinathver

Muktinath é um destino muito popular para Hindus e Budistas. Logo de manhã, fazemos uma visita ao Templo do Senhor Vishnu (Muktinath). Para os Hindus, “mukti khsetra” é a região da liberação, da salvação. Pequenas piscinas de água no templo canalizam a água pelos pequenos regos que circundam o templo. É aqui que os peregrinos se banham e limpam as almas. Do templo temos grandes vistas do pico Dhaulagiri, que a estátua do Buda observa com a tranquilidade que o define. Todo o local reflete paz.

À tarde passeamos pelas restantes vilas e povos circundantes, como Purang e Jhong.

Alojamento: hotel

Refeições: pequeno-almoço

Dia 9 - Viagem de volta para Pokhara, com paragem em Jomsomver

Longo e doloroso dia pela frente: bem cedo apanhamos um primeiro jeep para Jomsom. De Jomsom tomamos outro jeep, até Pokhara. Estas duas viagens durarão o dia todo, mas temos à nossa espera as nossas caminhas confortáveis e a memória do cimo dos Himalaias e uma nova paz interior!

Alojamento: hotel

Refeições: pequeno-almoço

Dia 10 - Pokharaver

Com uma nova visão de Pokhara, podemos aproveitar para simplesmente descansar, ou para fazer uma das actividades sugeridas anteriormente e que ainda não tivemos oportunidade.

À noite vamos àquele que é para mim o mais bonito cinema do mundo - uma tela gigante com o lago Phewa de fundo, e filmes (quase) sempre relacionados com a cultura Nepali, os Himalaias ou relevantes! Que forma bonita de nos despedirmos de Pokhara e dos Himalaias…

Alojamento: hotel

Refeições: pequeno-almoço

Dia 11 - Viagem até Chitwanver

Pela manhã cedo fazemos a viagem de autocarro até à reserva de Chitwan, o parque nacional mais antigo do Nepal. Ambientamo-nos ao novo clima, tropical e esperamos que no dia seguinte possamos conviver melhor com a vida animal local: tigres, rinocerontes, elefantes…

Alojamento: hotel

Refeições: pequeno-almoço

Dia 12 - Chitwanver

Hoje é dia de selva. Há várias actividades que podemos fazer: passeios pela selva, canoagem nos rios Rapti ou Narayani, passeios pelas vilas. De jacarés a rinocerontes, tigres a pássaros aquáticos.

Alojamento: hotel

Refeições: pequeno-almoço

Dia 13 - Viagem de volta para Kathmanduver

Despedimo-nos hoje da selva e rumamos de volta a Kathmandu às 9h. Chegamos a Kathmandu e apesar de já sentirmos o cheiro da despedida, ainda temos tempo de aproveitar um pouco mais da cultura Nepali.

Alojamento: hotel

Refeições: pequeno-almoço

Dia 14 - Kathmanduver

Hoje sim, é um bom dia para as ultimas compras! Passeamos pelas zonas, aprendemos sobre as pashminas, caxemiras, lãs de iaque, sorvemos chás, provamos momos, fazemos yoga… Um dia que deixamos em aberto para uma despedida à medida da nossa alma de viagem.

Alojamento: hotel

Refeições: pequeno-almoço

Dia 15 - Regresso a partir de Kathmanduver

Chegou a hora da despedida… à nossa espera teremos os nossos transfers para o aeroporto, à hora marcada. Despedimo-nos saudosamente do Nepal, com a tranquilidade de um espírito de viajante mais rico. Que a experiência desta viagem e a contribuição nas causas e culturas locais nos ajude a contribuir para um mundo mais tolerante e mais pacifico!

Namaste… e até à próxima aventura!

Alojamento: -

Refeições: pequeno-almoço

O que está incluído?

  • Dias: 15 dias
  • 14 noites de alojamento em hotel;
  • Transportes: autocarro turístico, jeeps e autocarro local, todos os transferes dentro das datas do programa;
  • Refeições: 14 pequenos-almoços;
  • Todas as atividades mencionadas no programa;
  • Seguro de viagem nas datas do programa;
  • Livro "O meu caminho para Kathmandu | Diário de um caminhante" de Pedro Queirós
  • Acompanhamento e orientação durante toda a viagem pela Tânia Neves;
  • Grupos: 4 - 11 pessoas;

Wanderluster

O que não está incluído?

  • Passagem aérea internacional, a partir de 800€;
  • Visto: 25USD;
  • Suplemento single: 250€;
  • Alimentação não especificada: +/-15€/dia;
  • Atividades extra;
  • Salto parapente +/- 80USD;
  • Visitas não especificadas;
  • Despesas de caráter pessoal;
  • Gorjetas

Próximas Datas

6 a 20 Outubro 2018 1380€ Disponível