Cau Costa

Tudo começou como um puzzle.

Passei horas a encaixar as peças dos legos, depois as regiões de Portugal, por fim os países no planisfério.

Fiz as primeiras viagens de longa distância através da minha imaginação e dos olhos dos outros. Mais tarde tive a certeza, quando cruzei a fronteira Ibérica, que este impulso errante de conhecer o mundo não me ia largar.
Comecei avidamente pela Europa, depois busquei os ares do Sul na América e Austrália, e na volta parei em vários apeadeiros da Ásia.

Ao longo do caminho percebi que para viajar, como para viver, precisamos de dar tempo a nós próprios, de ver mais além.

Por isso prefiro ir devagar, por inspiração, na busca de conhecimento e de uma boa história. Gosto de me sentir livre para o inesperado, de encontrar a poeira da estrada na minha pele e a natureza, na sua infinitude, em todo o lado.

A grande magia da viagem é permitir sair de si mesmo, ver o mundo com outros olhos, o que torna cada dia único e completo.

Talvez o maior prazer venha dessa descoberta, sempre que partilho os lugares de que gosto e conheço com alguém.

Numa linha o meu cartão de visita profissional seria “consultor informático nas áreas da hotelaria, viagem e turismo”.
Em duas teria de acrescentar “sonhador inveterado e apreciador da serendipidade”.


Viagens com Cau Costa

  • “Eficiente, simpático e prestável.”
    Manuel Pimentel
  • “O Cau Costa esteve sempre atento às dificuldades encontradas tentando resolvê-las da melhor maneira. É um óptimo negociador, extremamente comunicativo e conhecedor da cultura peruana.”
    Ana Cunha
  • “Muito simpático e sempre prestável, mesmo nas (poucas) situações menos agradáveis”
    Pedro Guardado
  • “Sempre disponível a ajudar.”
    Vânia
Turimso de Portugal RNAVT 4989